Como aumentar drasticamente a probabilidade do cliente aprovar o job.

18/09/2017 | Além do layout

Como aumentar drasticamente a probabilidade do cliente aprovar o job.

18/09/2017 | Além do layout

Opa!
Tudo beleza?

Diz aí, chega a dar uma dor no coração quando você passa várias horas (ou dias) layoutando pra um job e o cliente não aprova. Infelizmente, acontece. Mas ao longo do tempo (e de vários jobs reprovados) comecei a entender algumas coisas que me ajudaram a ser mais assertivo.

No mundo das agências de publicidade existe uma certa glamourização a respeito da apresentação de um projeto. É aquele momento onde a galera quer surpreender o cliente, fazer ele aplaudir de pé e chorar de emoção. Claro que em determinadas situações isso é válido, mas é preciso saber identificar quando o “showtime” realmente é necessário.

Às vezes a gente adota essa prática até nos freela. Daí você está lá apresentando uma nova marca, e já está no 15° slide, explicando que o conceito veio de uma expressão indígena que significa “alegria” e que se encaixa perfeitamente com o objetivo da empresa, que é ~deixar seus clientes felizes~.

Depois você explica a história do cara que inventou a fonte que foi usada no lettering e mostra como o símbolo foi desenvolvido totalmente dentro da proporção áurea. No final, o que você ouve é: “Muito bonito tudo isso, apresentação linda, mas não é bem isso que eu estava imaginando…”

Nem você nem o cliente tem tempo sobrando.

As coisas mudam muito rápido e é fácil perder o timing. Uma vez eu ouvi uma frase que fez muito sentido para mim: “Pare de tentar ser incrível e seja útil.” A solução que eu encontrei para evitar refações excessivas ou trabalho desnecessário foi a seguinte: fazer COM o cliente e não PARA o cliente. Não estou dizendo para layoutar com o cliente sentado do seu lado. Não é isso. (Apesar de que, às vezes, isso não é uma ideia tão fora como parece, acredite.)

Nesse caso, estou me referindo ao processo de construção das ideias. A melhor coisa que pode beneficiar o projeto é somar o seu conhecimento com o do cliente. Você manja como criar uma comunicação agradável, mas o cliente conhece o mercado dele muito melhor do que você.

Dicas práticas:

Ao invés de apresentar um “layout surpresa” só no dia da reunião, siga trocando ideias com o cliente durante o processo de criação. Fale da proposta que você está pensando em desenvolver, mostre rafes e referências de coisas semelhantes para que ele entenda onde pretende chegar. Peça a opinião dele a respeito disso tudo.

Como eu falei antes, depende da situação. Não dá para generalizar. Porém, existem pontos que precisam estar totalmente alinhados com a expectativa do cliente, como o conceito principal ou o estilo gráfico, por exemplo. Se pegarmos um caminho errado a respeito de alguma dessas coisas no início do job, o resto será tempo perdido.

Conversar com o cliente a respeito dos pontos-chave e trazê-lo para a construção do projeto aumenta muito a probabilidade de aprová-lo. Será difícil reprovar algo que ele mesmo ajudou a construir.

Nas redes sociais

VEJA TAMBÉM

Share This