Você é designer? Estudo revela como aumentar o seu salário em até 256,3%, sem fazer hora extra!

11/10/2017 | Além do layout

Você é designer? Estudo revela como aumentar o seu salário em até 256,3%, sem fazer hora extra!

11/10/2017 | Além do layout

Esse texto é sobre gatilhos mentais. Se você nunca leu nada sobre isso, provavelmente se sentiu extremamente atraído pelo título do post (quase que sensacionalista). Agora, se você já trabalha com marketing digital há algum tempo, deve ter dado risada e clicado só de curioso pra ver que bobagem eu ia falar.

Nós tomamos mais de 30 mil decisões por dia, mas muitas delas são no piloto automático. De forma beeeem resumida, gatilhos mentais são essas decisões que nosso cérebro toma por conta própria para evitar o desconforto diante de tantas decisões que teríamos que tomar a todo momento.

 

Já imaginou ter que pensar em cada movimento que você faz com as pernas para conseguir caminhar?

 

No marketing, mais especificamente na redação, os gatilhos mentais são utilizados para prender sua atenção quase que instantaneamente, partindo do princípio que o seu cérebro já está treinado para focar em determinadas palavras e expressões.

 

Sites de hotéis e passagens aéreas quase sempre utilizam o Gatilho da Escassez, para forçar você a tomar uma decisão mais rápido.

 

Voltando ao exemplo do meu título, eu usei três gatilhos mentais:

• Gatilho do Pertencimento. Quando você está rolando sua timeline do Facebook e vê um “Você é designer?”, sua mente responde sozinha: “Meu Deus, como você adivinhou?! Sim, sou!” e automaticamente você presta a atenção no resto da frase. Você pertence ao “grupo dos designers”, então provavelmente aquele conteúdo vai lhe interessar.

• Gatilho da Notícia. Tudo que traz um tom noticioso dá mais credibilidade. Quando você lê “Estudo revela…” não parece uma notícia falsa. Mesmo que não cite fonte nenhuma de pesquisa, você automaticamente passa a confiar mais naquela chamada e fica com vontade de clicar. E quando eu acrescento um número quebrado (256,3% kkkk) parece que o estudo foi extremamente elaborado e preciso.

• Gatilho do apelo à preguiça. Para encerrar com chave de ouro, eu termino o título com “sem fazer hora extra”. Não precisa de estudo científico para provar: o ser humano é um ser propenso à vagabundagem. Se não tivermos metas, não nos motivarmos dia após dia, a tendência é nos acomodarmos. Por isso que esse gatilho funciona muito bem em quase todas as situações. Todo mundo quer atalhos para ter resultado sem esforço.

3 motivos para o designer estudar gatilhos mentais.

Motivo 01: Para ter uma visão mais ampla e aumentar o seu repertório.

Eu sou um grande defensor de que o designer precisa sair da sua zona de conforto e estudar outros universos que correm paralelos ao seu. Gatilhos mentais é parte fundamental do marketing e da redação persuasiva para vendas, que são os principais fatores que farão com que seu projeto de design alcance as pessoas certas e cumpra seu objetivo.

Motivo 02: Para usar a seu próprio favor.

Todo mundo é vendedor. Você está todos os dias tentando vender algo a alguém, mesmo que seja apenas a sua própria imagem para seu chefe ou cliente. Conhecer os gatilhos mentais e saber utilizá-los no seu dia a dia pode aumentar drasticamente o seu valor percebido e fazer você se conectar mais facilmente com as pessoas.

Motivo 03: Para usar nos seus layouts.

Hoje em dia, é impossível pensar em design sem pensar em design para conversão. E isso não diz respeito apenas ao marketing digital. Toda criação gera uma expectativa e uma métrica que vai avaliá-la. Nesse processo, o texto é fator decisivo, e eu falo um pouco mais sobre isso nesse outro post aqui.

Usar gatilhos mentais não é errado.

Eu uso. Você deveria usar. Todo mundo que precisa vender algo deveria usar. Persuadir não é errado, diferente de manipular. As técnicas de persuasão servem para que você consiga convencer a pessoa a mudar de opinião ou tomar uma decisão por conta própria.

No final da história, ela precisa concordar com ela mesma de que tomou a decisão certa. Por outro lado, manipular é induzir o outro a fazer o que você quer, não necessariamente fazendo uso da verdade.

Cuidados que você precisa ter.

Gatilhos mentais são incrivelmente úteis e poderosos, mas você tem que saber utilizá-los, até porque esse negócio está ficando cada vez mais popular e todo mundo está começando a usar. O problema é que muitos são apenas “caçadores de cliques”, tipo o título que eu criei para ilustrar esse post. Parece spam vendendo remédio de “Aumente seu pênis 55cm em 3 dias”.

Eu não aguento mais ver a expressão “DICAS MATADORAS” em títulos de posts. “3 dicas matadoras para conquistar clientes!”, “7 dicas matadoras para ficar rico!”. “Dicas matadoras” está para o marketing digital assim como “Um novo conceito” está para a publicidade.

O pessoal está precisando lançar um novo conceito em dicas matadoras.

O gatilho mental mais poderoso de todos.

Pra mim, o gatilho que sempre vai funcionar é o Gatilho da Verdade. O que quer dizer isso? Que quando a pessoa conseguiu realmente criar uma conexão comigo e eu passei a confiar nela e me interessar pelo que ela diz, ela pode me mandar um e-mail com o título “Vai à merda!” que ainda assim eu vou querer clicar.

Quer uma última dica? Seja você. Use o seu vocabulário. Fale o que você falaria, não o que “todo mundo está usando”. Adapte os gatilhos mentais ao seu mundo e não perca sua essência. Eu já bati muito nessa tecla errada e não gostaria que você também precisasse passar por isso.

Nas redes sociais

VEJA TAMBÉM

Share This